Segundo Tempo: pressões pontuais

Dia de queda do Ibovespa, com pressões especiais no setor de frigoríficos. O dólar e os DIs, no entanto, registram quedas. Lá fora, investidores estão atentos às palavras de Trump e Merkel. E mercados na Europa terminam a semana em alta, sem sustos com a eleição holandesa.

0 126 0

17/03/2017 POR: Guide Investimentos

Destaques: dia de queda do Ibovespa, com pressões especiais no setor de frigoríficos. O dólar e os DIs, no entanto, registram quedas. Lá fora, investidores estão atentos às palavras de Trump e Merkel. E mercados na Europa terminam a semana em alta, sem sustos com a eleição holandesa.

Cenário externo: dólar ainda fraco; atenções se voltam a Trump e Merkel.

As bolsas da Europa terminaram com ganhos leves. O índice Stoxx 600, que monitora empresas de diversos países da região, fechou em alta de 0,1%. Na semana, subiu 1,3%. As razões: (i) expectativas de crescimento mais forte e (ii) uma eleição na Holanda sem grandes sobressaltos.

Nos EUA, Trump e Merkel estão reunidos. Agora à tarde, os holofotes se voltam à coletiva de imprensa de ambos, em Washington. E quanto aos mercados? Bolsas de NY mais próximas à estabilidade; dólar e juros das Treasuries em baixa, ainda em modo “pós-Fed” (afinal, a normalização de juros deve ser gradual).

Do lado “macro”: embora a produção industrial americana não tenha avançado em fevereiro, o índice de confiança dos consumidores subiu mais do que o esperado pelos economistas, na prévia de março. Em suma: a economia dos EUA vai bem. Os mais atentos se lembram da mensagem de Yellen, desta última 4ª (“A simples mensagem é que a economia está indo bem”, afirmou).

No Brasil: operação da PF; e pressões de baixa sobre dólar e DIs.

A operação da PF, chamada de “Carne Fraca”, exerce pressão pontual sobre o Ibovespa, em nossa opinião. Não alteramos a nossa visão positiva para o médio prazo, apesar dos ruídos políticos e recentes desdobramentos.

O índice acionário local, em queda de mais de 2%, é puxado para baixo pelas de BRF, que cai mais de 8%, e JBS, que cai quase 10% (ao redor das 15h, horário de Brasília). Bancos como Itaú e Bradesco também operam em baixa.

Por outro lado, a percepção de risco-país (medida pelo CDS de 5 anos) recua, corroborando a queda do dólar e DIs. O quadro externo também contribui, é claro.

Sobre os movimentos no pregão de hoje*:

Ibovespa: -2,29%, aos 64.273 pontos;
Real/Dólar: -0,71%, cotado a R$3,0968;
Dólar Index: -0,11%, 100,25;
DI Jan/19: +1 pontos base; 9,55%;
S&P 500: +0,06% aos 2.382 pontos.

*Por volta das 15h15, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

Boa leitura a todos!

0 126 0

Cadastre-se e receba nossos conteúdos exclusivos

Comments

Bitnami