O que é o Fundo Garantidor de Crédito e como ele pode proteger seus investimentos?

1 714 0

07/03/2017 POR: Guide Investimentos

O principal objetivo do FGC é proteger o investidor em caso de “quebra” da instituição financeira. Mas quais os prós e contras dessa garantia e o que você precisa saber antes de aplicar seu dinheiro, para usufruir dela da melhor maneira possível?

O Fundo Garantidor de Crédito – FGC é uma entidade de proteção do investidor de Renda Fixa, a qual todas as instituições financeiras são obrigatoriamente associadas, de acordo com uma regra do Banco Central. Ao contrário do que muitos pensam, ela foi criada para garantir a recuperação de depósitos não só da poupança, mas também de vários tipos de investimento de Renda Fixa, como:

Certificados de Depósito Bancário – CDB;

Letras de Câmbio – LC;

Letras Imobiliárias – LI;

Letras Hipotecárias – LH;

Letras de Crédito Imobiliário – LCI;

Letras de Crédito do Agronegócio – LCA.

Para que haja tal garantia, as instituições financeiras contribuem mensalmente com o órgão, com 0,0125% do montante dos saldos das contas desses ativos garantidos, ou papéis, como se costuma falar.

É a partir desse financiamento que o FGC consegue oferecer a cobertura de até R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, em caso de falência da instituição financeira emissora do papel.

De acordo com um estudo publicado este ano pela TAG Investimentos, esse valor representa cerca de nove vezes o PIB per capta da população brasileira, o que confere ao Brasil a oitava posição na lista de países que oferecem maior garantia ao investidor, se comparado aos demais por esse ponto de vista.

Entretanto, devemos lembrar que, quando falamos de investimentos, existem algumas condições, como segurança, prazo de aplicação do dinheiro e outras, que impactam na rentabilidade que o investidor terá.
No caso da garantia oferecida pelo FGC, é preciso ficar atento para não escolher um investimento em que o emissor compense o valor pago por esta segurança, diminuindo o rendimento do investidor. Como este fator varia de emissor para emissor, é possível encontrar no mercado opções que aliam segurança a um bom retorno.

Outro fator importante é o tempo médio de pagamento do FGC nos últimos cinco casos em que foi acionado, que foi de 66 dias úteis. Logo, temos um cenário que poderá impactar a rentabilidade final dos investidores. Por isso, é fundamental que haja um filtro criterioso de seleção dos investimentos que as distribuidoras oferecem aos seus clientes.

Simplificando, é preciso avaliar se sua corretora possui um processo de análise e filtro dos investimentos que avalie a segurança e a rentabilidade do que é oferecido, como uma forma de garantir que você está de fato investindo seu dinheiro na melhor opção disponível para o seu perfil.

1 714 0

Cadastre-se e receba nossos conteúdos exclusivos



Comentários (0)

Ordenar por:

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!

Bitnami