Regras e Legislação

Somos uma Corretora de Valores Mobiliários regulada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil – BCB e monitorada por diversos órgãos reguladores. Por isso investir com a gente é mais rentável e seguro.

Arquivos Política de privacidade e termos de uso

  • Termos de uso

    A Guide Investimentos, inscrita no CNPJ 65.913.436/0005-40, com sede na rua Iguatemi, 151, 27º andar, Itaim Bibi, São Paulo (SP), única e exclusiva proprietária dos domínios www.guideinvest.com.br e www.guideinvestimentos.com.br doravante denominada Guide Investimentos, estabelece o presente TERMO DE USO para os USUÁRIOS conforme as condições abaixo discriminadas:

    o  Nenhuma das informações contidas neste site se constitui em solicitação ou oferta da Guide Investimentos para compra ou venda de qualquer título ou ativo financeiro para realização de operações nos mercados de valores mobiliários ou para aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. O propósito é exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

    o  As informações, os serviços e os produtos oferecidos no site referem-se a esta data, podendo ser alterados, cancelados ou suspensos, em qualquer tempo e sem aviso prévio, a critério exclusivo da Guide Investimentos. A efetivação de qualquer transação ou serviço solicitado pelo cliente está sujeita à aprovação da Guide Investimentos e à sua conformidade com as “Regras e Parâmetros de Atuação”, dispostas no site, e com a legislação aplicável ao respectivo produto ou serviço.

    o  A Guide Investimentos dispensará especial atenção às operações que, nos termos de instruções emanadas das autoridades competentes, possam constituir-se em sérios indícios dos crimes previstos na Lei 9.613 de 03 de março de 1998, com alterações dadas pela Lei 12.683 de 09 de julho de 2012.

    o  A Guide Investimentos deverá comunicar ao COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) as operações que possuam indícios de lavagem de dinheiro, nos termos das Leis e instruções supracitadas, abstendo-se de dar ciência de tal ato a qualquer pessoa, inclusive à qual se refira a informação, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas a contar da ocorrência da proposta e/ou transação.

    o  A política de controle de risco da Guide Investimentos estabelece limites de negociações para os clientes, reservando-se o direito de não acatar ordens, e pode exigir o prévio depósito dos títulos a ser vendidos ou, no caso de compra, o prévio depósito do numerário equivalente.

    o  Todo o conteúdo – que inclui, mas não se limita a textos, programas de computador e imagens, entre outros –, assim como a aparência, a organização e a estrutura da Guide Investimentos, é protegido pela legislação de propriedade intelectual aplicável e não infringe nenhuma lei ou norma a que esteja subordinado, nenhum contrato, documento ou acordo dos quais faz parte, assim como não infringe direitos de terceiros.

    o  O cliente, antes de iniciar suas operações, deve fornecer as informações cadastrais que lhe forem solicitadas. Deve também preencher o cadastro e assinar o termo de adesão da intermediação, bem como outros termos que se façam necessários, além de efetuar a entrega das cópias de documentos comprobatórios, quando requisitadas pela Guide Investimentos. Deve ainda estar ciente da própria senha e do fato de que ela é de seu uso exclusivo, pessoal e intransferível e de que valerá como assinatura digital em qualquer transação efetuada. Deve também estar ciente de que a Guide Investimentos pode bloqueá-la quando julgar que seu uso é irregular.

    o  O cliente deve, obrigatoriamente, definir a quantidade e o preço das ofertas enviadas direta e automaticamente à Guide Investimentos, via internet, para ser executadas através do sistema de Home Broker. O cliente também deve estar ciente de que as ordens enviadas diretamente à Guide Investimentos via internet, através do sistema de Home Broker, terão sempre a validade de um documento (tais ordens serão consideradas como se tivessem sido apresentadas por escrito). Na impossibilidade de a ordem ser transmitida à Guide Investimentos via internet, o cliente tem a opção de enviá-la por outro meio, que pode ser “verbal” (por telefone) ou “por escrito” (e-mail ou atendimento online).

    o  Para melhor funcionamento do portal da Guide Investimentos, o mesmo irá passar, eventualmente, por períodos de atualização e manutenção.

    o  A Guide Investimentos exime-se de responsabilidades por danos sofridos por seus clientes devido a falhas dos serviços disponibilizados por terceiros. Incluem-se nessa condição, sem limitações, os casos ligados à rede mundial de computadores.

    o  Toda comunicação feita através da rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, o que pode invalidar ou prejudicar o envio de ordens ou negociações.

    o  Os direitos autorais sobre informações, desenhos e logotipos encontrados neste site pertencem à Guide Investimentos ou a terceiros que legalmente cederam seu direito de uso; não devem ser utilizados, no todo ou em parte, sem a permissão prévia e por escrito da Guide Investimentos, exceto quando explicitamente mencionado o contrário.

    o  As regras e os regulamentos da BM&FBovespa estão sujeitos a mudanças sem prévio aviso. Por favor, consulte os operadores da Guide Investimentos sobre regras e eventuais alterações. As informações também podem ser obtidas no site da BM&FBovespa (www.bmfbovespa.com.br). Corretagens, comissões, taxas, emolumentos e requisitos de margem podem ser alterados pelas bolsas em qualquer momento e sem prévio aviso. Os preços cobrados pela Guide Investimentos podem ser alterados mediante aviso prévio. As regras sobre o mercado financeiro estão sujeitas a alterações efetuadas pelas autoridades monetárias sem prévia comunicação.

  • Política de Privacidade

    Somos responsáveis por proteger o seu patrimônio.

    Toda e qualquer informação contida neste site não se constitui em solicitação ou oferta da Guide Investimentos para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. O propósito é exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

    As informações, serviços e produtos oferecidos no site se referem a esta data, podendo ser alterados, cancelados ou suspensos a qualquer tempo e sem aviso prévio, a critério exclusivo da Guide. A efetivação de qualquer transação ou serviço solicitado pelo cliente está sujeita à aprovação da Guide e à sua conformidade com as “Regras e Parâmetros de Conduta e Atuação” dispostas neste site e com a legislação aplicável ao respectivo produto ou serviço.

    Os clientes da Guide Investimentos, por determinação legal, só podem transferir recursos para a sua conta na Guide oriundos de contas correntes bancárias de sua titularidade. Também por determinação legal, a Guide Investimentos informará à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) toda e qualquer operação e/ou movimentação financeira que configure ou apresente indício de crimes capitulados na Lei nº 9.613 (lavagem de dinheiro).

    De forma a implementar sua política de controle de risco, a Guide Investimentos estabelecerá limites de negociação para os clientes, reservando-se o direito de não acatar ordens, podendo exigir prévio depósito dos títulos a serem vendidos ou, no caso de compra, o prévio depósito de numerário equivalente.

    Após cadastrar-se, o cliente receberá por email os dados para login no portal. Para iniciar suas negociações, o cliente deverá acessar o site da Guide, fazer o seu primeiro login utilizando o seu email, CPF ou número de conta, e criar uma nova senha. Após se logar, o cliente terá acesso à sua carteira recomendada e às nossas opções de produtos, e poderá iniciar suas operações após a primeira transferência de recursos.

    *Lembre-se: a senha e a assinatura eletrônica valem como assinatura digital para qualquer transação efetuada, podendo a corretora, a qualquer momento, bloqueá-la quando julgar seu uso irregular.

    Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2017

Arquivos Riscos dos produtos de investimento da Guide

  • Risco de mercado

    De acordo com a Resolução 3464/07 do Conselho Monetário Nacional, o risco de mercado é a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes das flutuações nos valores de mercado de posições. Esta definição inclui os riscos das operações sujeitas à variação cambial, taxa de juros, dos preços de ações e dos preços de mercadorias (commodities).

    É o risco associado às variações dos valores dos ativos que integram ou venham a integrar a carteira do cliente em razão da flutuação de preços e cotações nos mercados de câmbio, juros e bolsas de valores.

    Entre os fatores que afetam esses mercados, destacam-se os relacionados à economia em geral, tanto nacionais quanto internacionais, tais como os ciclos econômicos, a política econômica e a situação econômico-financeira das empresas emissoras de ações e de títulos.

    Em caso de queda do valor dos ativos que compõem a carteira, o patrimônio do cliente pode sofrer perdas, dependendo do momento em que o cliente se desfaz de suas posições.

  • Risco de crédito

    Conforme definição do Bacen (Resolução 3721/09), o risco de crédito é a possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados, à desvalorização de contrato de crédito decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos ou remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação.

    É o risco de inadimplência ou atraso no pagamento de juros ou principal dos títulos que compõem a carteira.

    O risco de crédito está associado à capacidade de solvência do Tesouro Nacional, no caso de títulos públicos federais, e da empresa emissora do título, no caso de títulos privados.

  • Risco de liquidez

    A Resolução 4.090/12 do Conselho Monetário Nacional define como Risco de Liquidez a ocorrência de desequilíbrios entre ativos negociáveis e passivos exigíveis – “descasamentos” entre pagamentos e recebimentos – que possam afetar a capacidade de pagamento, levando-se em consideração as diferentes moedas e prazos de liquidação de seus direitos e obrigações.

    É o risco associado à ausência de demanda dos ativos que compõem a carteira, tanto por questões relacionadas diretamente ao ativo como por fatores específicos do mercado em que ele é negociado. Nesse caso, o cliente poderá:

    • ter dificuldade de converter seus ativos em reservas (caixa) e de atender a eventuais necessidades;
    • liquidar posições oferecendo descontos nos preços dos ativos para fazer caixa, o que lhe trará perdas.
  • Risco proveniente do uso de derivativos

    É o risco associado ao uso de derivativos como proteção (hedge) ou alavancagem da carteira.

    No hedge, os derivativos são utilizados para proteção de flutuações de mercado dos ativos que compõem a carteira. Eventualmente, por questões técnicas relativas ao instrumento derivativo utilizado, isso pode não oferecer uma proteção perfeita da carteira do cliente, causando descasamento de preços entre o ativo protegido e seu derivativo.

    Na alavancagem, o uso de derivativos permite ao cliente tomar posições nos mercados sem utilização do seu caixa. No caso, grandes oscilações podem levar a perdas superiores às que o cliente pode suportar.

  • Risco de Custódia

    Trata-se do risco de perda dos valores mobiliários mantidos sob custódia, ocasionado por insolvência, negligência ou por ação fraudulenta do custodiante ou de um subcustodiante.

  • Risco de Negociação

    Está associado a problemas técnicos que impeçam o investidor de executar uma operação em determinado preço e horário. Por exemplo, a falha no sistema de negociação, incluindo falha de hardware, software ou conexão via internet.

  • Risco Operacional

    A Resolução 3.380/06 do Conselho Monetário Nacional define como Risco Operacional a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas ou de eventos externos.

Arquivos REGRAS/LEGISLAÇÃO

  • Arquivos

  • 1. Descumprimento às normas e procedimentos pela BM&FBOVESPA

    O descumprimento às normas e procedimentos estabelecidos pela BM&FBOVESPA, bem como daquelas que é incumbida de fiscalizar (abrangendo também práticas não equitativas e quaisquer modalidades de fraude ou manipulação no mercado) sujeita o infrator às penalidades que podem ser por ela aplicadas, que são: advertência, multa, suspensão, exclusão e inabilitação para o exercício de certas funções na própria Bolsa e em corretora. Vale ressaltar que a instituição possui poderes para cancelar negócios previamente realizados no caso de serem constatadas infrações a dispositivos legais e regulamentares.”

  • 2. Regras de liquidação e custódia da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC)

    Descrição detalhada dos serviços e das atividades da CBLC e glossário dos principais termos utilizados.

    Regras gerais e estruturais de funcionamento dos serviços e das atividades da CBLC. Regulamento de operações

  • 3. Ciclo de Liquidação (fonte: CBLC)

    Ciclo de Liquidação de Operações à Vista
    A CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia é o órgão responsável por compensar e liquidar as operações realizadas no mercado a vista da BM&FBOVESPA.

    A liquidação financeira de uma compra ou venda, ocorre em 3 (três) dias úteis (D+3). Isso significa que, depois da compra ou venda dos ativos, os recursos correspondentes, serão debitados (compra) ou creditados (venda), três dias úteis após a operação.

    Para que uma operação de venda no mercado a vista seja concluída, o papel em questão deve estar disponível na conta de custódia do vendedor, para entrega ao comprador, até o horário limite estabelecido pela CBLC.

    A falta da entrega total ou parcial do papel no D+3 acarreta multa ao vendedor.

    Caso a ação objeto da operação não seja entregue em até D+4, inicia-se o processo de recompra no mercado e é cobrada uma nova multa, sobre o valor negociado que não foi honrado.

    Tipos de Liquidação – Sobre as Operações a Termo

    Operações a termo podem ser liquidadas de 3 (três) formas distintas:

    • Liquidação por decurso de prazo: na data de vencimento do termo, são atribuídos créditos e débitos no valor da operação aos agentes de compensação das partes compradoras e vendedoras;
    • Liquidação antecipada: o comprador do termo pode determinar antecipadamente a liquidação parcial ou total da operação, a partir da cobertura no D+3 e em até 2 (dois) dias úteis do vencimento da operação.
    • Liquidação por diferença: o comprador a termo tem a opção de liquidar total ou parcialmente por diferença, mediante a venda à vista do ativo objeto da operação. Esse processo deve ser informado na CBLC net, na data em que houver a execução da operação de venda à vista. Caso não ocorra a execução da liquidação na CBLC net, não haverá a liberação dos ativos e não será efetivada a liquidação.

    Não é permitida a liquidação por diferença, caso os ativos em questão estejam em processo de liquidação ou não se encontrem em condições de negociação;

    A liquidação por diferença, só pode ser feita, após a cobertura no D+3 e em 03 (três) dias úteis antes do vencimento da operação a termo, desde que devidamente autorizada pela CBLC.

    Substituição do Ativo objeto do Termo Flexível
    A parte compradora do termo, pode se desejar, substituir o ativo objeto da operação por outro ativo que ficará depositado como cobertura na operação;

    Para efetivar esse processo, o comprador vende à vista os ativos que possui e o recurso correspondente a essa venda poderá ser utilizado para a compra do novo papel que será registrado abaixo do termo flexível, caso não ocorra a compra o recurso financeiro será alocado como lastro em dinheiro, o qual fica retido como margem sem remuneração.

    Essa substituição pode ser feita após a cobertura no D+3 e desde que autorizada pela CBLC, até 10 dias úteis antes do vencimento da operação.

    Liquidação de Operações de Contratos Futuros
    As obrigações relativas às operações realizadas no mercado futuro extinguem-se através das seguintes modalidades de liquidação:

    Investidores vendedores

    Pela entrega dos ativos na data de vencimento; ou
    Por encerramento da posição, mediante a uma operação na BM&FBOVESPA, inversa a que foi realizada anteriormente, extinguindo-se parcial ou totalmente;
    Investidores Compradores

    PRAZO DESCRIÇÃO DO PROCESSO
    D+0 Data da operação no pregão (viva voz ou eletrônico) Único dia para especificação de operações à termo, futuro e opções Cobertura de termo, futuro e opções, início do Depósito de margem de garantia (ativos) para operações a termo, futuro e opções
    D+1 Prazo final para re-especificações de operações no mercado a vista Depósito de margem de garantia (espécie) para operações a termo, futuro e opções Liquidação financeira das operações de futuro e opções
    D+2 Entrega dos relatórios definitivos Relatório de previsão de vendas descobertas -potenciais inadimplentes
    D+3 Entrega das ações – liquidação física (até às 10h00) Pagamento – liquidação financeira (até às 15h30) Chamada de margem para vendedor inadimplente
    D+4 Ultimo dia para a regularização da pendência (até às 10h00) Liberação da ordem de recompra a favor do comprador (11h00) Início do prazo para execução de recompra
    D+5 Prazo para a execução da recompra e confirmação
    D+6 Prazo para confirmação e término do prazo para execução da recompra
    D+7 Prazo final para confirmação da recompra
    D+8 Reversão da operação.

    Durante sua vigência, a Ordem de Recompra poderá ser cancelada mediante acordo entre as partes (vendedor/? comprador);

    Todos os dias /D, acima citados são considerados como dias úteis.

    Hora Atividade Emissor Destinatário
    8h30 Câmara avisa abertura CBLC Participantes
    9h00 Câmara informa resultado líquido de negociações – renda fixa e renda variável (prévia) CBLC Banco do Agente de Compensação
    9h30 Câmara informa liquidação de eventos e emissões CBLC Banco do Emissor ou Banco do Agente de Custódia
    10H00 Horário limite para entrega de ativos de renda variável na Custódia CBLC Agente de Custódia CBLC
    10H30 Horário limite para IF requisitar transferência para liquidação de eventos e emissões. Banco do Emissor ou Banco do Agente de Custódia Bacen/CBLC
    12H30 Câmara efetua repasse de eventos e emissões CBLC Bacen/Banco do Emissor ou Banco do Agente de Custódia
    13H00 Final da negociação de compromissadas e definitivas com liquidação em D+0 CBLC Participante de Negociação
    13H05 Final do período de especificação para as operações definitivas com liquidação em D+0 e operações compromissadas D+0/D+1 de renda fixa Participante de Negociação CBLC
    13H10 Final do período de autorização de direcionamento de entrega/recebimento de renda fixa Participante Selic CBLC e Participante de Negociação
    13H20 Envio de informações do saldo líquido de títulos de renda fixa CBLC Participante de Negociação e Agente de Compensação
    13H20 Envio de informações do saldo líquido de títulos de renda fixa CBLC Participante Selic
    14H00 Horário limite para entrega de títulos no Selic Participante Selic e CBLC Selic
    14H30 Câmara informa resultado líquido de negociações – renda fixa e renda variável (definitiva) CBLC Banco do Agente de Compensação
    14H30 Câmara informa resultado líquido de negociações ao Bacen CBLC Bacen
    14H45 Horário limite para solicitação de restrição na entrega – renda fixa e renda variável Participante de Negociação e Agente de Compensação CBLC
    15H00 Horário limite para IF confirmar ou divergir do resultado líquido de negociações Participante de Negociação e Agente de Compensação CBLC

    15h00

    Horário limite para IF confirmar ou divergir do resultado líquido de negociações

    Banco do Agente de Compensação

    CBLC

    15h10

    Horário limite para eventuais acertos devido às divergências em resultado líquido de negociações

    CBLC

    Banco do Agente de Compensação

    15h15

    Câmara informa resultado líquido de negociações ao Bacen

    CBLC

    Bacen

    15h30

    Horário limite para IF requisitar transferência para liquidação de resultado líquido de negociações

    Banco do Agente de Compensação

    Bacen/CBLC

    15h45

    Horário limite para eventuais acertos devido a casos de inadimplência

    CBLC

    Banco da CBLC

    15h55

    Câmara efetua liquidação de resultados credores e entrega títulos no Selic (Processamento da Entrega contra Pagamento)

    CBLC e Participante Selic

    Bacen/Banco do Agente de Compensação e Selic

    16h45

    Final da negociação de operações com liquidação em D+1

    Participante de Negociação

    18h30

    Câmara avisa fechamento

    CBLC

    Participantes

    19h30

    Final do período de especificação para as operações definitivas com liquidação em D+1 – Segmento BM&F

    Participante de Negociação

    CBLC

    18h30

    Horário Limite para liberação da restrição na entrega – renda fixa e renda variável

    Participante de Negociação e Agente de Compensação

    CBLC

    21h30

    Final do período de especificação de operações de renda variável e autorização da entrega/recebimento de ativos de renda variável – Segmento BOVESPA

    Participante de Negociação e Agente de Custódia

    CBLC

    Qualquer hora

    Devolução de eventuais créditos LDL e LBTR recebidos indevidamente

    Eventuais consultas e avisos de alterações de horário, interrupção e retomada de atividades

    Transferência de títulos públicos para conta de garantias da CBLC no SELIC

  • 4. Legislação

    LEI Nº 9.613, DE 3 DE MARÇO DE 1998 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre os crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores; a prevenção da utilização do sistema financeiro para os ilícitos previstos nesta Lei; cria o Conselho de Controle de Atividades Financeiras – COAF, e dá outras providências.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 51, DE 09 DE JUNHO DE 1986
    Dispõe sobre as operações de Conta Margem e dá outras providências.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 116, DE 03 DE MAIO DE 1990 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre a carteira própria de valores mobiliários das sociedades distribuidoras e dá outras providências.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 117, DE 03 DE MAIO DE 1990
    Dispõe sobre a carteira própria de valores mobiliários das sociedades corretoras e dá outras providências.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 168, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1991 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre operações sujeitas a procedimentos especiais nas Bolsas de Valores.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 301, DE 16 DE ABRIL DE 1999 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre a identificação, o cadastro, o registro, as operações, a comunicação, os limites e a responsabilidade administrativa de que tratam os incisos I e II do art. 10, I e II do art. 11, e os arts. 12 e 13, da Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, referente aos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 380, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2002
    Estabelece normas e procedimentos a serem observados nas operações realizadas em bolsas e mercados de balcão organizado por meio da rede mundial de computadores e dá outras providências.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 400, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre as ofertas públicas de distribuição de valores mobiliários, nos mercados primário ou secundário, e revoga a Instrução CVM nº 13, de 30 de setembro de 1980, e a Instrução CVM nº 88, de 3 de novembro de 1988.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 555, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014
    Dispõe sobre a constituição, a administração, o funcionamento e a divulgação das informações dos fundos de investimento.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 560, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2014
    Dispõe sobre o registro, as operações e a divulgação de informações de investidor não residente no País.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 441, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2006 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre empréstimo de valores mobiliários por entidades de compensação e liquidação de operações com valores mobiliários

    INSTRUÇÃO CVM Nº 494, DE 20 DE ABRIL DE 2011
    Dispõe sobre a constituição, a administração, o funcionamento, a divulgação de informações e a distribuição de cotas dos Clubes de Investimento.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 497, DE 03 DE JUNHO DE 2011 (CONSOLIDADO)
    Dispõe sobre a atividade de agente autônomo de investimento.

    INSTRUÇÃO CVM Nº 505, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011
    Estabelece normas e procedimentos a serem observados nas operações realizadas com valores mobiliários em mercados regulamentados de valores mobiliários.

    BACEN – RESOLUÇÃO Nº 4.373, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014
    Dispõe sobre aplicações de investidor não residente no Brasil nos mercados financeiro e de capitais no País e dá outras providências.

    BACEN – RESOLUÇÃO Nº 3.461, DE 27 DE JULHO DE 2010
    Consolida as regras sobre os procedimentos a serem adotados na prevenção e combate às atividades relacionadas com os crimes previstos na Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998.

    BACEN – CARTA CIRCULAR 3.542, DE 12 DE MARÇO DE 2012
    Divulga relação de operações e situações que podem configurar indícios de ocorrência dos crimes previstos na Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, passíveis de comunicação ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

  • 5. Saiba mais nos sites

  • 6. F.A.T.C.A – FOREIGN ACCOUNT TAX COMPLIANCE ACT

    A Guide Investimentos aderiu ao F.A.T.C.A – FOREIGN ACCOUNT TAX COMPLIANCE ACT. Para saber mais acesse: http://www.irs.gov/Businesses/Corporations/Summary-of-Key-FATCA-Provisions

Arquivos SEGURANÇA E CONFIABILIDADE

  • Segurança e Confiabilidade

    Nós trabalhamos no desenvolvimento de ferramentas eletrônicas para facilitar o seu dia a dia como usuário e também como investidor. O nosso portal foi desenvolvido por profissionais extremamente experientes que possuem boa compreensão do mercado financeiro e das necessidades rotineiras de nossos clientes e parceiros. Deste modo, garantimos que as suas informações estão seguras com a gente e você na terá com o que se preocupar.

  • Pesquisa e Inovação

    O diferencial nos serviços é o processo constante de pesquisa que permite a adoção de soluções inovadoras.

  • Performance

    Contamos com uma plataforma rápida e inteligente, que foi desenhada a partir do usuário, para que este tenha a sua melhor experiência na compra de produtos financeiros.

  • Infra Estrutura

    A infra-estrutura tecnológica da guide foi construída a partir do know how de profissionais experientes no mercado, que entendem a necessidade do nosso público-alvo e também do dia a dia de nossos colaboradores. Desta forma, nossa plataforma foi desenhada para facilitar a rotina de nossos consumidores internos e externos.

  • Segurança

    Nós tratamos com muita seriedade a segurança de nossos sistemas eletrônicos e as informações de nossos clientes. Investimos em infra-estrutura de segurança da informação, visando garantir a disponibilidade, a integridade e a confidencialidade das informações armazenadas e processadas por nossos sistemas.

    A nossa plataforma utiliza recursos avançados de segurança eletrônica, que garantem a integridade e o sigilo das informações transferidas via Internet.

    Atenção! De acordo com as exigências do Programa de Qualificação Operacional da BM&FBovespa, após 30 minutos de inatividade na plataforma, será necessário informar novamente a sua assinatura eletrônica para operar.

    As características do sistema de segurança mantido pela corretora, incluindo uso de senhas e assinaturas eletrônicas:

    O Sistema de negociação é garantido por um conjunto de serviços que somente JUNTOS garantirão a segurança do serviço de HOME BROKER. Dispomos de Firewall para proteção de nossos servidores e serviços. Senhas são armazenadas no banco de dados de forma criptografada. Todas as ordens de Home Broker são especificadas em nome do Investidor e verificadas on-line, garantindo desta maneira o registro das ordens na custodia ON-Line. Uma senha para Home Broker Internet, onde existe dupla autenticação a partir da confirmação de uma informação pessoal do cliente. As senhas são pessoais, estando totalmente sob o controle do usuário Investidor, que a qualquer momento poderá pessoalmente alterar as senhas de Acesso ao ambiente de Negociação e de da própria senha de Negociação. Se detectado o mau uso dos recursos de negociação eletrônica via Internet, a corretora se reserva no direito de bloquear o acesso ao sistema bem como a negociação sem prévio aviso. Caso alguma destas situações ocorra, o usuário investidor deverá entrar em contato diretamente com a corretora. Certificação digital de 128 Bits, garantindo que os dados que trafegam entre o BROWSER e os SERVIDORES estão sendo trafegados criptografados, e portanto seguros. Todos os processos estão atendendo as normas estipuladas pela CVM, as exigências da BM&FBovespa bem como atendem os demais Órgãos pertinentes.

    As formas eletrônicas utilizadas para comunicar ao investidor a recepção e fiel execução de suas ordens, bem como quaisquer outras informações que o investidor deva receber:

    O Investidor recebe um e-mail de conformação para certificar a execução fiel de suas ordens, bem como quaisquer outras informações relevantes.

Arquivos AVISOS IMPORTANTES

  • 1. Dúvidas sobre produtos de investimento do mercado

    Gostamos de promover o conhecimento do mercado financeiro.
    Caso tenha interesse e/ou questionamentos sobre produtos e conceitos de investimentos acesse os links:

  • 2. Código de conduta

    Para visualizar o código de ética da Guide Investimentos, clique aqui.

    Para visualizar o código de conduta da BM&FBovespa, clique aqui.

  • 3. Orgãos reguladores e auto-reguladores

    CVM (Comissão de Valores Mobiliários)

    A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) tem as funções de:

    • Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão;
    • Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores e acionistas controladores de companhias ou de administradores de carteira de valores mobiliários;
    • Evitar ou coibir modalidades de fraude ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários negociados no mercado;
    • Assegurar o acesso do público a informações sobre valores mobiliários negociados e as companhias que os tenham emitido;
    • Assegurar a observância de práticas comerciais equitativas no mercado de valores mobiliários;
    • Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários;
    • Promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital social das companhias abertas.

    Em caso de dúvidas e/ou queixas consulte o Serviço de Orientação ao Investidor da CVM – soi@cvm.gov.br / 0800-726-0802.

    Acesse o site aqui

    BM&FBovespa

    A Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) é uma associação civil sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial. A bolsa é uma entidade auto-reguladora, que opera sob a supervisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e foi criada em 23/08/1890.

    A BM&FBovespa possui o poder de Auto-Regulação, que lhe confere faculdade para estabelecer normas e procedimentos (inclusive de conduta) e para fiscalizar seu cumprimento, os quais deverão ser observados pelas corretoras, as empresas listadas e investidores.

    O descumprimento às normas e procedimentos estabelecidos pela BM&FBovespa, bem como daquelas que é incumbida de fiscalizar (abrangendo também práticas não equitativas e quaisquer modalidades de fraude ou manipulação no mercado) sujeita o infrator às penalidades que podem ser por ela aplicadas, que são: advertência, multa, suspensão, exclusão e inabilitação para o exercício de certas funções na própria Bolsa e em corretora.

    Em caso de dúvidas e/ou queixas consulte o Ombudsman do Mercado – ombudsman@bovespa.com.br / 0800-770-0149.

    Acesse o site aqui

    Banco Central do Brasil

    O Banco Central do Brasil (BC ou BACEN) é autarquia federal integrante do Sistema Financeiro Nacional, sendo vinculado ao Ministério da Fazenda do Brasil. Assim como os outros bancos centrais do mundo, o brasileiro é a autoridade monetária principal do país, tendo recebido esta competência de três instituições diferentes: a Superintendência da Moeda e do Crédito (SUMOC), o Banco do Brasil (BB) e o Tesouro Nacional.

    O Banco Central foi criado em 31 de dezembro de 1964, com a promulgação da Lei nº 4.595.

    É de competência exclusiva do Banco Central do Brasil:

    Emitir papel moeda e moeda metálica

    Executar serviços de meio circulante

    Receber os recolhimentos compulsórios dos bancos comerciais

    Realizar operações de redesconto e empréstimos de assistência à liquidez às instituições financeiras

    Regular a execução dos serviços de compensação de cheques e outros papeis

    Autorizar, normatizar, fiscalizar e intervir nas instituições financeiras

    Controlar o fluxo de capitais estrangeiros, garantindo o correto funcionamento do mercado cambial
    Acesse o site aqui

    BSM (BM&FBovespa Supervisão e Mercados)

    A BSM (BM&FBovespa Supervisão e Mercados) é responsável pela autorregulação de todos os mercados da BM&FBovespa.

    Suas responsabilidades são:

    Fiscalizar e supervisionar os participantes do mercado e a própria BM&FBovespa;

    Identificar violações à legislação e à regulamentação vigentes, condições anormais de negociação ou comportamentos que possam colocar em risco a regularidade de funcionamento, a transparência e a credibilidade do mercado;

    Instaurar e conduzir processos administrativos disciplinares;

    Penalizar os que cometem irregularidades;

    Administrar o Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP).
    Acesse o site aqui

    CBLC

    A CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) é responsável pelos serviços de guarda centralizada, compensação e liquidação das operações realizadas nos mercados da BM&FBovespa, Segmento Bovespa (à vista, derivativos, balcão organizado, renda fixa privada, etc.)

    Acesse o site aqui

    ANCORD

    Entidade voltada a consolidar, orientar e fortalecer os Mercados Financeiro e de Capitais. São funções da Autorregulação Ancord:

    Emitir Certificados para os profissionais habilitados no Exame de Certificação para Agente Autônomo de Investimento (“AAI”) e Empregados das Instituições Financeiras com Atividades de Distribuição e Mediação de Títulos e Valores Mobiliários e Derivativos;

    Credenciar os profissionais Certificados;

    Renovar Credenciamento dos AAI;

    Deferir ou indeferir o cadastro de Sociedades de Agentes Autônomos de Investimento;

    Deferir ou indeferir solicitação de Licenciamento;

    Deferir ou indeferir cancelamento de Credenciamento;

    Dar suporte técnico ao AAI referentes às suas atividades;

    Indicar os membros do Conselho e dos Comitês de Autorregulação;

    Fiscalizar e supervisionar os Agentes e as Sociedades de Agentes Autônomos de Investimento;

    Instaurar e conduzir processos administrativos disciplinares;

    Penalizar os que cometem irregularidades.

    Acesse o site aqui

    ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais)
    Representam as instituições que atuam no mercado de capitais brasileiro. Reune o maior número de protagonistas do setor para uma atuação coesa junto ao governo, ao próprio mercado e à sociedade.

    Tem por objetivo fortalecer os segmentos que representa, para apoiar a evolução de um mercado de capitais capaz de financiar o desenvolvimento econômico e social do país e influenciar o mercado global.

    Para ser uma entidade cada vez mais forte que representa instituições igualmente fortes assumiu 4 compromissos com o mercado, investidores e país:

    Representar: Promover a interlocução e defender os interesses dos associados para ampliar a atratividade do mercado de capitais e estimular seu crescimento sustentado.
    Autorregular: Criar condições para que os agentes do mercado estabeleçam, em tempo ótimo, regras, parâmetros e princípios de funcionamento que incentivem o constante aprimoramento dos padrões operacionais, bem como supervisionar o cumprimento dessas normas.
    Informar: Ser fonte confiável de informação e disseminar o conhecimento produzido e adquirido pela Associação.
    Educar: Elevar os padrões de qualidade do mercado, por meio de iniciativas de educação e certificação de profissionais.

    Acesse o site aqui

  • 4. Novo horário de negociação

    Informamos abaixo os horários de negociação da BM&FBovespa que entraram em vigor em 08/07/2013:

    Segmento Bovespa
    Pregão

    • 9h30 às 9h45 – fase de cancelamento de ofertas;
    • 9h45 às 10h – leilão de pré-abertura;
    • 10h às 16:55 – sessão contínua de negociação para todos os ativos em todos os mercados;
    • 16:55 às 17h – call de fechamento para todos os ativos negociados no mercado à vista e lote fracionário.
    • 16h55 às 17h15 – call de fechamento para todos as séries de opções e ETFs;
    • 16h50 às 17h15 – call de fechamento para opções de Índice Bovespa.

    After-market

    • 17h25 às 17h30 – fase de cancelamento de ofertas;
    • 17h30 às 18h – fase de negociação.

    Exercício no mercado de opções sobre ações

    • dias anteriores ao vencimento: das 10h às 16h – exercício de posição titular;
    • dia do vencimento: das 10h às 13h – exercício de posições titulares das séries vincendas.

    Exercício no mercado de opções sobre o índices de ações

    • dias anteriores ao vencimento: das 10h às 16h – exercício de posição titular;
    • dia do vencimento: após às 17h – exercício automático de posições titulares das séries vincendas sempre que: opção de compra: o índice de liquidação for superior ao preço de exercício; e
      opção de venda: o índice de liquidação for inferior ao preço de exercício.

    Segmento BM&F

    • 17h às 17h15 – apuração do preço de ajuste para o contrato futuro de Índice Bovespa;
    • 9h às 18h – negociação dos contratos referenciados em índices de ações.

    Para conferir os horários de negociação dos segmentos BM&F na íntegra acesse o site aqui.

    Caso tenha alguma dúvida ou precise de ajuda, entre em contato conosco pelo telefone (11) 3576-6755 ou pelo email atendimento@guideinvestimentos.com.br.

  • 5. Relatórios de negociação de vinculados/carteira própria dos últimos 12 meses

  • 6. O que você deve saber sobre execução de ordens

    Você receberá mensagens de confirmação em seu email com os detalhes das ofertas de compra e/ou venda nas seguintes situações:

    • Durante o processo de cadastro no nosso Home Broker.
    • Para todo registro de oferta de compra ou venda que for aceita em pregão.
    • Para todo cancelamento de oferta já colocada em pregão.
    • Quando a oferta é negociada em pregão, inclusive com as ofertas parciais executadas.
    • Quando houver cancelamento do negócio realizado pelo pregão, segundo as regras de negociação estipuladas pelo BM&FBovespa.
    • Para as ofertas colocadas fora do horário de negociação e, portanto, agendadas para o pregão seguinte.
    • A política de cobrança de corretagem e eventuais custos adicionais de negociação pela rede mundial de computadores, incluindo emolumentos cobrados por entidade auto-reguladora ou pelas câmaras de liquidação e compensação.
    • Os procedimentos detalhados seguidos pela corretora eletrônica na execução das ordens de compra e venda recebidas pela rede mundial de computadores, incluindo a possibilidade de as ordens não serem executadas automaticamente pelo sistema, e sua prioridade diante das ordens recebidas por outros canais de comunicação, segundo volume operado e outros parâmetros.

    Lembre-se: toda oferta registrada no Home Broker está à sua disposição no histórico de ordens do mesmo, onde você pode verificar todos os detalhes da ordem, inclusive tempo de registro na BM&FBovespa e respectivos retornos.

  • 7. O que você deve saber sobre condições de negociação

    1. Condições para compra
      • Para realizar a compra de ativos, você deve ter recursos disponíveis em sua conta.
      • Sempre que realizar alguma operação, o valor da mesma ficará bloqueado em sua conta até que a operação seja liquidada. Tome cuidado para não duplicar suas ordens, pois as ordens realizadas na mesa de operações podem ser registradas com atraso.
    2. Condições para venda
      • Para toda ordem de venda, iremos consultar a disponibilidade dos ativos em questão na custódia.
      • Você pode realizar somente a venda de ativos que estiverem disponíveis em sua carteira de negociações. Para visualizar sua carteira, basta fazer login em nossa plataforma.
      • É possível fazer day trade (comprar e vender a mesma quantidade de papel no mesmo dia.)
      • Seus ativos em custódia serão disponibilizados para negociação de acordo com as Regras de Liquidação estipuladas pela CVM.
    3. Agendamento de oferta
      • Para maior segurança, vamos analisar a consistência de cada ordem efetuada antes de encaminhá-la ao pregão. Iremos informar (o que vai ser informado) por email e você poderá acompanhar todo o processo de forma online.
    4. Tempo máximo para realizacão das operações
      • O portal da Guide Investimentos contém sistemas de segurança e criptografia que desconectam seu acesso após 5 minutos de inatividade dentro do portal. Basta digitar seu login e senha para se conectar novamente.
  • 8. Calendário de mercado

    Para acessar o calendário financeiro e verificar os dias que não terão negociações na Bolsa de Valores de São Paulo, clique aqui.

  • 9. Fatos relevantes divulgados nos últimos 5 (cinco) dias úteis

    Clique aqui para verificar os fatos relevantes divulgados nos últimos 5 (cinco) dias úteis pelas companhias negociadas na bolsa de valores.

  • 10. Sobre mecanismos de ressarcimento de prejuízos

    Conheça mais sobre os mecanismos de ressarcimento de prejuízos aqui.

  • 11. Sobre o sistema de negociação da Guide Investimentos

    A Guide Investimentos conta com uma ferramenta de negociação online que permite você negociar seus ativos pela internet na BMF&Bovespa.

    A ferramenta também oferece consulta a informações financeiras e de custódia, envio de ordens programadas, gráficos, relatórios, notícias do mercado e muito mais!

    O Painel de Cotações da Plataforma da Guide Investimentos é um dos mais completos do mercado. O Investidor/Cliente tem acesso aos 10 melhores preços nas listas de oferta de compra e de venda no sistema de negociação com as quantidades totais a cada preço, identificadas por valor mobiliário, bem como o horário de divulgação dessas informações.

    Faça o Download do Manual do HB

    Configurações Minimas para o Sistema de Negociação da Guide

    • Link mínimo de 256k
    • Resolução mínima monitor de 1024 x 768
    • Navegador IE 7, IE 8, Chrome, Firefox
    • As configurações de máquina não são relevantes
  • 12. Procedimentos Especiais e operacionais de negociação

    Caso tenha questionamentos sobre os procedimentos operacionais e especiais da BM&FBovespa acesse os links:

  • 13. Demonstração de Desempenho e Lâmina

Ainda com dúvidas?

Não encontrou o que procurava? Entre em contato conosco.

Fale Conosco
Bitnami